Preencha a lacuna da experiência convidando veteranos à bordo: Pedro Peixoto

Texto traduzido.

O ex-aluno da SKEMA Pedro Peixoto, co-fundador da 10b Gestora de Recursos, está trabalhando fortemente para capacitar os pecuaristas no Brasil, ajudando-os a ampliar suas tecnologias e produzir de maneira mais sustentável, sem abrir mão de suas margens. Neste artigo esclarecedor, ele relata sua jornada empreendedora.

Nome completo: Pedro Peixoto.

Ano da graduação: 2019.

Mestrado / Especialização: MSc Empreendedorismo e Inovação.

Nome da empresa: 10b Gestora de Recursos (10b Asset Management).

Posição: Co-fundador da 10b Gestora de Recursos, Diretor de Investimentos da 10b Livestock Fund.

Local do negócio: São Paulo, Brasil.

Site: https://bit.ly/3bRd6IZ

“O que realmente fez a diferença para mim foi fazer parceria com pessoas mais experientes e cultivar uma rede de profissionais seniores. Essa é a chave para ganhar credibilidade e acesso à pessoas que podem ajudar na obtenção de sucesso e evitar possíveis erros”
Pedro Peixoto

Origem da ideia
Entrei para o setor de capital de risco depois de me formar em finanças pelo Instituto de Tecnologia de Nova York no início de 2015. Meu primeiro emprego no setor foi como analista em um escritório de família em Nova York. Mais tarde, mudei-me para minha cidade natal, Belo Horizonte, Brasil, onde ingressei na maior empresa de VC em estágio inicial do país, como desenvolvedor de fluxo de negócios, responsável pelo pipeline de oportunidades de investimento da região sul do Brasil.

De março de 2016 a abril de 2017, conduzi três investimentos iniciais em empresas com soluções de machine learning para os setores de energia, agricultura e segurança e analisei detalhadamente mais de 500 startups. À medida que me envolvia mais no ecossistema brasileiro de inovação, ficou evidente para mim a diferença entre as expectativas e a realidade nas relações empreendedor-investidor em nosso ecossistema de inovação. Entre várias questões, o mais impressionante foi a falta de apoio e coordenação dos investidores na missão crucial de dar escala às carteira de empresas, especialmente as que seguem estratégias B2B. Os VCs se orgulhavam muito de sua rede de contatos, mas raramente geravam valor real por meio do acesso ao mercado. Portanto, havia uma clara oportunidade de trabalhar entre os participantes do ecossistema para preencher essa lacuna.

Alguns meses antes de ingressar na SKEMA Business School, no campus de Sophia Antipolis, no outono de 2017, meus parceiros Edsmar Resende e Artur Tacla – dois consultores e investidores seniores com décadas de experiência em inovação corporativa -, juntos, fundamos a Circle Ventures. Começamos a ajudar grandes empresas brasileiras nos setores de agricultura, energia, logística e saúde a navegar no ecossistema local de inovação. Nossa missão era procurar startups brasileiras que pudessem solucionar problemas reais das empresas e ministrar de ponta a ponta os processos de tomada de decisão, garantindo que o potencial real de startups inovadoras pudesse ser absorvido por nossos clientes corporativos, tanto em termos financeiros quanto de sustentabilidade. Paralelamente, também começamos a investir em startups de biotecnologia em estágio de P&D no Brasil, nas áreas da saúde, petcare e alimentos.

Durante meus dois semestres na França, eu trabalhava meio período para apoiar meus parceiros no Brasil e também para expandir a Circle Ventures no exterior. Em retrospecto, tivemos muito sucesso, atingindo mais de 300 mil dólares em receitas nos primeiros 12 meses e tendo dezenas de startups e corporações brasileiras como clientes recorrentes.

Ao retornar ao Brasil em maio de 2018, após concluir a SKEMA e, graças a um projeto bem-sucedido da maior empresa de alimentos do país, a Circle Ventures chamou a atenção da Tarpon Investimentos. A Tarpon é uma das empresas de investimento de maior sucesso no Brasil, com investimentos públicos e privados e mais de US $ 4 bilhões em ativos administrados na época. À medida que as conversas evoluíam, ficou claro que havia uma oportunidade de combinar forças e diferentes origens para investir em tecnologias para os setores agrícola e alimentar brasileiro, por meio de estratégias de investimento muito profundas, focadas na consolidação de empresas inovadoras, com soluções sinérgicas e vencedoras, focadas em agricultores e consumidores. A Tarpon havia investido em várias empresas de agricultura e alimentos no passado, e meu parceiro Edsmar é de uma família de agricultores tradicionais do interior de Goiás. Assim, tivemos o know-how.

E foi assim que co-fundamos a 10b Gestora de Recursos, uma joint venture entre a Circle Ventures e a Tarpon. Em resumo, a 10b é uma empresa de investimento que investe em empresas inovadoras nos setores brasileiro de agricultura e alimentos, para que os agricultores possam cultivar mais alimentos de maneira mais sustentável e alimentar com eficiência a futura população global de 10 bilhões de pessoas.

Como a ideia evoluiu
Na agricultura e na alimentação, existem várias áreas em potencial para focar. O maior desafio para o 10b no começo era escolher por onde começar. Outro desafio importante foi combinar diferentes experiências de investimento, experiência em agronegócios e experiência em tecnologia em uma estratégia de investimento coordenada e integrada.

O intenso processo de design e desenvolvimento durou todo o ano de 2019, avaliando dezenas de oportunidades de investimento durante o período. Finalmente, decidimos focar em cinco áreas principais da agricultura e alimentos: pecuária (laticínios e carne bovina), insumos biológicos, armazenamento de grãos, alimentos inovadores e educação no agronegócio.

Em seguida, estruturamos com sucesso dois fundos de investimento para alavancar nossos investimentos em pecuária e armazenamento de grãos no último trimestre de 2019, levantando cerca de US $ 10 milhões e US $ 30 milhões no primeiro fechamento, respectivamente, principalmente com escritórios brasileiros familiares e pessoas com alto rendimento como parceiros limitados.

A 10b Gestora de Recursos está atualmente em processo de registro junto à Comissão Brasileira de Valores Mobiliários (CVM)

Como a empresa / startup está indo agora
Até o momento, investimos em três empresas: OnFarm (startup de tecnologias em saúde animal) e Ideagri (startup de sistemas de gerenciamento de fazendas) como parte de nossa estratégia de investimento em pecuária, e a Kepler Weber (multinacional de infraestrutura de armazenamento de grãos de capital aberto) como parte da estratégia de investimento na armazenagem de grãos. Atualmente, estamos arrecadando cerca de US $ 40 milhões para a terceira rodada de financiamento para investir em uma empresa líder em insumos para agricultura biológica no Brasil.

Como diretor de investimentos da estratégia de investimentos em pecuária, estou totalmente engajado no desenvolvimento de nossos investimentos nessa área. Meu objetivo é ampliar essas tecnologias e capacitar os pecuaristas do Brasil a produzir de maneira mais sustentável, sem abrir mão das margens de lucro.

Com uma forte capacidade de análise de dados tanto em nossas empresas quanto na equipe 10b, aproveitaremos os dados agrícolas para criar uma plataforma robusta para o setor, um conjunto de soluções para agricultores que oferecem não apenas sistemas de alta tecnologia, mas também dados orientados a crédito, mercados e, consequentemente, poder de barganha contra a indústria tradicional. Desde o primeiro trimestre de 2020, as empresas de nosso portfólio em pecuária têm mais de US $ 2 milhões em receitas anuais combinadas e estão presentes em mais de 4.000 fazendas pecuaristas brasileiras, aumentando a base de usuários em média 10% ao mês.

Assistência recebida da SKEMA
Desde que voltei ao Brasil, mantive contato regular com Nicolas Servel, diretor do MSc em Empreendedorismo e Inovação, para orientação e insights. O prof. Servel também faz parte do conselho consultivo da Circle Ventures desde 2017.

Também entrei em contato com meu ex-colega de classe Jérôme Brickert, que agora lidera as iniciativas do InVivo Quest em tecnologias de agronegócios na Europa e nas Américas.

Por fim, também confio na SKEMA para encontrar alunos e graduados talentosos para cargos na 10b e em nossas empresas de portfólio. De fato, adicionarei um aluna do Mestrado em Empreendedorismo e Inovação à minha equipe em julho de 2020, quando a viagem para o Brasil da França for restabelecida e ela puder se juntar a nós.

Conselhos para futuros empreendedores da SKEMA
O que realmente fez a diferença para mim foi fazer parceria com pessoas mais experientes e cultivar uma rede de profissionais seniores. Isso é essencial para obter credibilidade e acesso à pessoas que pode ajudar na obtenção de sucesso e evitar possíveis erros. Esses profissionais seniores viram muitas ideias falharem e terem sucesso e são surpreendentemente abertos a parcerias com jovens empreendedores, desde que sintam que serão ouvidos e que a execução de alto nível seja concedida.

Os empreendedores de sucesso têm em média 40 anos de idade. Portanto, se você tem vinte e poucos anos como eu (tenho 27 anos), encontre maneiras de preencher a lacuna da experiência trazendo veteranos à bordo.

Boa sorte!

SKEMA Ventures
A SKEMA Ventures é uma unidade de negócios criada pela SKEMA Business School dedicada ao empreendedorismo e à inovação. Por meio de uma cadeia de valor única, que abrange ensino, coaching, incubação e aceleração, a SKEMA Ventures permite a cada aluno e ex-aluno da SKEMA pensar, projetar, testar e lançar um projeto empresarial em um contexto global, em seis territórios inovadores, em quatro continentes, beneficiando-se do melhor de cada ecossistema local. Com a SKEMA Ventures, nasce o empreendedorismo GloCal. Saiba mais, clique aqui!

Deixe uma resposta