Escola de Negócios SKEMA: O Sonho Educacional Global de Alice Guilhon

Por JOHN A. BYRNE, do portal especializado em educação – Poets & Quants. Texto traduzido e adaptado. 

Sem dúvidas, este é um momento difícil para a área da educação. Há inúmeras consequências relacionadas à questão da Pandemia da Covid-19 e que impactam diretamente nas escolas de negócios em todo o mundo, principalmente quando falamos de modelos de negócios globalizados. 

Alice Guilhon, a reitora visionária da SKEMA Business School, com sete campus em cinco países no mundo, acredita que estes retrocessos advindos da Pandemia e seus desdobramentos são temporários. “O gênio da globalização”, diz ela, “escapou da garrafa e não há como colocá-lo de volta”. Mesmo frente à tantas incertezas, Guilhon segue otimista e planeja abrir mais três campi nos próximos dez anos: na Índia, Rússia e Austrália .

“É claro que os riscos aumentaram para nós”, diz ela do seu escritório no sul de França, em Nice. “Mas os riscos são maiores também para outras escolas e universidades”. Para dizer a verdade, não tenho a certeza de que isso vá mudar as coisas. Não podemos reverter a globalização. Este é o caminho do mundo. Não podemos mudar isso radicalmente porque, para mim, seria o fim da história. Significa que temos de mudar os nossos processos, as nossas atitudes, mas não podemos mudar completamente o modelo”.

UMA GIGANTE DE EDUCAÇÃO EMPRESARIAL EM EXPANSÃO COM MAIS DE 50 PROGRAMAS DIFERENTES

Guilhon gerencia uma gigante da educação empresarial em expansão, com campus na França, no Brasil, na China, na África do Sul e nos EUA, com mais de 50 programas diferentes, que vão desde licenciaturas em negócios a vários programas de mestrado, além de um MBA executivo global. Ao todo, a escola conta com mais de 8.500 alunos, recebendo 120 nacionalidades diferentes.

Gerir a SKEMA durante uma crise de saúde sem precedentes tem sido um enorme desafio, tal como tem sido para muitos reitores de escolas de negócios. Mas para Guilhon, é complicado devido à multiplicidade de localizações e à dimensão da população estudantil. Após o encerramento temporário do seu campus de Suzhou, na China, em meados de Janeiro, a SKEMA tornou-se virtual, com aulas online para os seus 550 alunos de lá. Mas com o anúncio do fechamento de universidades em França, depois sucessivamente nos EUA, no Brasil e na África do Sul, a SKEMA mudou para um “modo de ensino 100% remoto” para cerca de 70 programas diferentes, realizando 250 cursos diferentes todos os dias.

“Fechamos os campi e demos aos nossos alunos a opção de permanecer no local ou de voltar”, diz Guilhon. Hoje, na África do Sul, temos seis alunos que não querem voltar para a Europa. Disseram que vão assumir o risco e que preferem ficar. Fizemos o mesmo na China há mais de dois meses, fechando lá o nosso campus”.

A DIMENSÃO E O ALCANCE DA ESCOLA É O RESULTADO DIRETO DOS PLANOS AMBICIOSOS DO GUILHON

Pegada Global da SKEMA Business School
Guilhon lançou também um fundo de emergência financeiro para ajudar os estudantes que enfrentam dificuldades temporárias devido à pandemia. Alguns estudantes perderam os seus subsídios de estágio ou os seus contratos de trabalho-estudo, enquanto alguns pais, que foram despedidos dos seus empregos, já não podem garantir as despesas diárias dos seus filhos. Por isso, está organizando um fundo de 250.000 euros que irá distribuir bolsas entre 1.000 e 3.000 euros por estudante.

A dimensão e o alcance da escola é o resultado direto dos ambiciosos planos de Guilhon. No ano passado, em 2019, a SKEMA celebrou o décimo aniversário de uma fusão entre duas escolas francesas, ocorrido no final de 2009, entre ESC de Lille e CERAM de Nice. Com a fusão, concebida por Guilhon, então reitora da CERAM, teve a oportunidade de reimaginar a educação executiva. Guilhon abriu o campus nos EUA, na China e em Belo Horizonte, no Brasil.

Há dez anos, a escola contava com 60 professores e 2.000 alunos. E, Guilhon acrescenta rapidamente, “uma estrutura de governança que estava completamente congelada”. Atualmente há quase 9.000 estudantes em sete campi, com 150 professores permanentes e mais de 400 professores tempo integral. O orçamento anual da escola ascende a 104 milhões de euros (112 milhões de dólares), contra menos de 40 milhões de euros há dez anos.

“NÃO QUERO ACADÊMICOS QUE DIZEM QUE CAMINHAMOS MUITO DEPRESSA, QUE NÃO SE PODE FAZER ISTO OU NÃO SE PODE ABRIR AQUILO”.

Além disso, a governança da escola está, em grande medida, nas mãos de antigos alunos que são presidentes e diretores executivos de empresas internacionais. Apesar de Guilhon ser uma acadêmica de quarta geração, tem uma postura muito clara quanto à modelos burocráticos. “Não quero ter acadêmicos que dizem estamos indo depressa, que não se pode fazer isto ou aquilo”, diz ela claramente.

Quando expôs os seus planos ambiciosos de expansão para a SKEMA, Guilhon recorda-se, dizendo: “Este é o projeto. Se quiserem vir comigo, faremos algo excepcional. Mas se não quiserem, perdemos tudo nos próximos três ou quatro anos. Por isso, agora têm de escolher. Todos estavam comigo 100%. Não houve resistência à mudança”.

“Este é um sonho que eu tive”, diz ela. “Tive a oportunidade de desenhar a escola dos meus sonhos num papel branco, há dez anos atrás, junto à administração da escola. Uma oportunidade dessas é excepcional na vida, e eu a aproveitei como algo muito importante para mim, mas para a comunidade. Isto é a prova de que podemos mudar o modelo. Podemos mudar as regras do jogo e provar que se pode continuar a ser excelente e recrutar os melhores professores e alunos e mudar as regras. Isto é incrível para mim. Se conseguirmos abrir a porta a outros para transformar sociedades por meio da educação, isto é algo que me dá grande satisfação”.

Os colegas a descrevem como uma grande empreendedora, cheia de energia, alguém com um turbilhão de ideias. “O entusiasmo de Alice e a sua liderança são contagiantes”, diz Gisa Rollin, a diretora de desenvolvimento do campus dos EUA em Raleigh, N.C. “Trabalhamos em estreita colaboração e a energia que se pode sentir e ver diariamente”.

Acesse a entrevista pelo link: https://bit.ly/3fKC3ss

Deixe uma resposta