“Morar fora ajuda a entender e aceitar os outros de maneira aberta e positiva”

Estudar fora de seu país de origem foi fundamental para Helene Piquion (formada em Administração na SKEMA, em 1996). Segundo ela, morar fora “ajuda a entender e aceitar os outros de maneira aberta e positiva e no âmbito profissional, você aprende a não se acomodar”. Depois de quase 20 anos trabalhando na área financeira, Helene abriu seu próprio negócio, a Ratatouïe, de Londres, que atua no setor de refeições prontas para entrega em domicílio. Seu objetivo: conciliar o caseiro e o prático, com refeições saudáveis, orgânicas e frescas para toda a família. Acompanhe essa conversa, na qual Helene conta sobre sua experiência como estudante na SKEMA, sua trajetória profissional e seus novos desafios.

Sua carreira girou em torno de finanças e catering, mas esses dois setores não poderiam ser mais diferentes. Conte-nos sobre isso!

Eles são muito diferentes, mas sempre foram minhas duas paixões. Quando eu obtive meu mestrado em Administração na SKEMA em 1996, as perspectivas de graduados em Administração de Empresas na França não eram muito atraentes. Graças à SKEMA, tive a sorte de fazer meu terceiro ano na Universidade de Manchester e me formar a partir daí com um duplo mestrado em Contabilidade e Finanças. Então decidi começar minha carreira no setor de finanças, em Londres.

O que a mudança no exterior trouxe para você?

Em termos pessoais, morar no exterior me ajudou a entender e aceitar os outros de maneira aberta e positiva. É muito enriquecedor. No âmbito profissional, abre grandes perspectivas: você aprende a não se acomodar, independentemente da sua graduação. A meritocracia tende a reinar. Descobrimos que o sucesso está ao alcance de qualquer pessoa disposta a trabalhar duro por ele. Se não tivesse me mudado para o exterior, talvez não fosse capaz de reiniciar meu negócio. A “resiliência” e a curiosidade inerentes à experiência de morar fora ajudam a tornar tudo possível.

Seus estudos na SKEMA ajudaram em sua carreira?

Foi uma grande vantagem estudar em uma escola com aulas em inglês. Os acordos com universidades estrangeiras também foram um excelente trampolim para iniciar uma carreira no exterior. E o acesso à SKEMA Ventures (uma incubadora de startups da própria SKEMA que também é aberta a ex-alunos) é extraordinário. Eles me ajudaram a criar meu propósito e desenvolver meu plano de negócios, além de poder participar de seminários gratuitos. Quando você tem um orçamento apertado e pouca experiência em levantar capital, esse tipo de ajuda é inestimável.

Você acabou retornando ao catering, com a Ratatouïe. Por quê?

Depois de trabalhar por 6 anos para diferentes fundos alternativos e bancos comerciais como o Goldman Sachs e o Crédit Suisse, eu queria voltar para a França. Foi aí que comecei a alimentar minha segunda paixão, o catering. Deixei Londres e me estabeleci no Lubéron (nos Alpes franceses), onde iniciei a Helene’s Kitchen, fornecendo serviços de chef em casa para turistas que alugam casas na região. Bom atendimento, paixão pela culinária da minha região e meu bilinguismo garantiram o sucesso do negócio. Mas dois anos depois tive que desistir por motivos pessoais e retornei a Londres, de volta ao Goldman Sachs, onde fiquei por quase 10 anos.

Mas quando voltei da licença de maternidade, o emprego não oferecia mais um bom ajuste para minha “nova” vida familiar como mãe solteira por opção. Desde Helene’s Kitchen, nunca perdi o desejo de começar outro negócio. Enquanto fazia purês para minha filha depois de um dia duro no escritório, pensei em fazer refeições em casa para bebês. Fundei a Ratatouïe, em maio de 2017, preparando e entregando refeições saudáveis ​​e orgânicas para bebês localmente.

E como meus clientes buscavam refeições para o resto da família criei uma variedade de refeições frescas e equilibradas para todos – refeições nutritivas com muitos legumes que até as crianças gostam de comer! Meu objetivo é conciliar o caseiro e o prático, simplificar a alimentação saudável e resolver deliciosamente a eterna pergunta “o que há para o jantar” para muitos pais. A dimensão ecológica de Ratatouïe é intrínseca ao projeto: nossas embalagens são feitas de papel, madeira ou vidro recicláveis; nossos menus são sazonais e adquirimos nossos ingredientes orgânicos de produtores locais.

Quais são os próximos passos agora?

Com mais de 250 clientes fiéis e 15.000 refeições entregues, é hora de expandir e investir na equipe e na infraestrutura para atender à crescente demanda. Lancei minha campanha de financiamento, que inclui financiamento coletivo. Quero transformar o Ratatouïe em um distribuidor de refeições frescas e equilibradas, lancheiras e lanches para toda a família.

Ao mesmo tempo, quero oferecer podcasts e conteúdo com foco na educação do paladar. Isso é importante: precisamos explicar às crianças e seus pais os benefícios de cada alimento, permitindo que provem sabores e texturas diferentes e ensinando-os a nos dizer do que gostam. Estou convencida de que comer bem é algo que pode ser aprendido. É importante para a nossa saúde física e mental, nosso planeta e a família.

Siga as aventuras de Ratatouïe! www.ratatouie.co.uk

Deixe uma resposta