SKEMA KCenter: a tecnologia a serviço do conhecimento

A SKEMA tem um KCenter (Knowledge Center ou Centro do Conhecimento), uma plataforma online que estimula a inovação e o aprendizado compartilhado, entre professores e alunos e entre os próprios alunos. No KCenter, os alunos têm acesso livre a livros, artigos, revistas científicas, teses, jornais, entre outros materiais de interesse acadêmico. O KCenter possui tanto materiais mais atuais quanto um grande acervo de publicações passadas, todas de qualidade, sendo excelentes fontes de pesquisa.

Esse Centro do Conhecimento engloba ainda acesso a outras plataformas de base de dados, o que amplia as fontes para os alunos completarem seus estudos e pesquisas. São elas: Ebsco, Dalloz, Emerald e JSTOR, ProQuest e ScholarVOx.

Em alguns dos campi da SKEMA, como em Paris, Lille e Sophia Antipolis, todos na França, o KCenter é também um local que inclui bibliotecas com espaços de trabalho e estações de trabalho (computadores), disponíveis para os estudantes consultarem materiais físicos e acessarem os conteúdos online.

O compartilhamento de materiais, informações e dados entre os seis campi da SKEMA em quatro diferentes países é uma realidade, possível também graças ao KCenter.

Conectar para compartilhar conhecimento entre quem ensina e aprende e estimular a inovação

Alunos que estiverem fazendo parte de seus cursos em outros lugares do mundo também podem acessar as publicações e dados pela Internet (Trabalhos Inter-Campi). Sejam alunos que estiverem na China – onde a SKEMA tem campus em Suzhou; no Brasil, onde o campus SKEMA é em Belo Horizonte; ou ainda em várias outras cidades onde os alunos estiverem, estudando em universidades parceiras ou fazendo estágios.

A Gerente de Comunidade do KCenter em Lille, Maria Açucena da Silva, esteve no Brasil no mês passado acompanhando a chegada de mais de 400 estudantes de outros campi da SKEMA que vieram fazer este primeiro semestre de 2019 em BH. Ela falou sobre o centro de conhecimento, ao que ele se propõe e sobre seu desenvolvimento:

“O KCenter tem como missão a introdução da inovação na pedagogia, não só com a tecnologia, mas para a inovação fazer parte do curso.”

A necessidade de acompanhar a mudança e inovar

Segundo Maria da Silva, são os alunos que trazem essa necessidade de inovação, porque eles têm, na atualidade, muito mais tecnologias disponíveis e presentes na vida deles. Mas segundo ela, “essas tecnologias estão presentes no dia a dia dos estudantes de maneira lúdica e não de forma profissional. Uma das funções do KCenter é otimizar a utilização de ferramentas tecnológicas, para serem melhor aproveitadas para o ensino e profissionalmente.  Para isso, fazemos workshops com professores, alunos e sessões de treinamento.”

O trabalho da equipe do KCenter é desenvolver, dar suporte e promover a inovação entre os alunos, o corpo docente da escola, pesquisadores e entre outros colaboradores da SKEMA.

“Nós do KCenter acompanhamos os professores, parar poder aprender e propor mudanças na forma de ensinar, como ter outras interações com os estudantes. A proposta é que essas interações possam ser feitas também via ferramentas que conectem a escola, os professores e os estudantes em todos os campi. O KCenter facilita o acesso aos cursos e ao conhecimento”, afirma Maria da Silva.

Quem desenvolve um Centro do Conhecimento e o que produzem?

A equipe do KCenter é composta por profissionais que atuam como bibliotecários e outros que atuam, como Maria da Silva, mais focados na interação entre os diversos usuários da plataforma e seus recursos.

Dentre as atividades, os profissionais produzem materiais digitais para a ampliação do chamado E-learning, gravam e editam vídeos, monitoram a produção geral dos materiais. Realizam cursos e treinamentos e atuam na criação e desenvolvimento de métodos e das próprias ferramentas usadas por todos que se beneficiam do KCenter.

Quem faz o KCenter da SKEMA trabalha dentro da filosofia de que a experimentação é um catalisador para a inovação.

Saiba mais sobre o Knowledge Center da SKEMA

Você pode também acompanhar as atividades do KCenter no
Facebook ou Twitter.


Deixe uma resposta