Intercâmbio em BH. Alunos de 9 nacionalidades chegaram ao Brasil.

91 alunos oriundos de nove países diferentes escolheram o Brasil para fazer intercâmbio pelo perfil econômico, pelos desafios, pela cultura e pelas belezas naturais.

A SKEMA, a nossa universidade internacional de negócios, preparou um grande evento para recepcionar nossos novos alunos. Tivemos palestras sobre assuntos variados, na intenção de inserir os alunos no contexto do nosso país. Tivemos, também, momentos de distração para que todos pudessem ter seu primeiro contato com os brasileiros e entre eles. E, no final, como não poderia faltar, uma roda de capoeira encheu o teatro com musicalidade, ritmo e com um pouco da rica cultura brasileira.

Esses eventos acontecem em todos os campi da SKEMA, para que os alunos aproveitem a nova experiência com segurança e qualidade.

 

ESTUDAR NO EXTERIOR TRAZ GRANDES APRENDIZADOS

A mensagem de boas-vindas da reitora Geneviève Poulingue foi que o Brasil é uma escolha inteligente para quem quer acumular e capitalizar experiência internacional. É um meio ambiente de forte energia e transformações, com muitas áreas de inovação (na economia digital e biotecnologia, por exemplo), mas também com muitos contrastes, o que vai desafiar a capacidade de entendimento e adaptação de todos. Leia mais sobre estudar no exterior 

 

POR QUE O BRASIL? (NA VOZ DOS ESTUDANTES)

Foto aluna SKEMA em passagem pelo Brasil

O estudante francês Antoine Phelep, que já trabalhou no Congo (África) na área de finanças, veio ao Brasil com a expectativa de aprender mais sobre países em desenvolvimento. A mesma perspectiva tem a marroquina Inas Rachidi, que já estudou na Europa e na China com a SKEMA. “Estudar finanças em um país não maduro economicamente pode ajudar a entender melhor o processo de evolução dos mercados”, explica ela. Aman Agrawal, da Índia, acha o Brasil parecido com seu país de origem. “Estudar marketing nesses ambientes econômicos vai me proporcionar uma comparação multicultural interessante”, disse ele, que fará em BH um semestre do curso da SKEMA de Marketing e Desenvolvimento de Negócios.

DICAS CULTURAIS, DE SAÚDE E SEGURANÇA

Com essa turma, a SKEMA completa 1.200 estudantes em seus cursos brasileiros desde que eles começaram a ser organizados no Brasil em 2015. Como todos os outros que os precederam, os estudantes que acabaram de chegar receberam várias dicas de comportamento cultural, social e saúde. Foram alertados com relação ao problema de segurança urbana do país, incluindo uma palestra do capitão Stevan de Oliveira, da Polícia Militar de Minas Gerais. A psiquiatra Heloise Delavenne falou sobre como é viver em um país tropical, recomendando muito filtro solar, água à vontade, cuidado com a caipirinha e, claro, com o que ela chamou de o “inimigo número 1” da saúde brasileira, o Aedes Aegypti.

Os avanços em termos de tolerância sexual e de gênero no Brasil também foram abordados. Os estudantes conheceram projetos culturais em andamento na grande BH e projetos sociais apoiados pela SKEMA e outras instituições. O dia terminou com um espetáculo de capoeira. E um farto café mineiro, oferecido à beira da Lagoa dos Ingleses, parte do campus da Fundação Dom Cabral.

Alunos SKEMA ao redor do mundo

 

A PROPOSTA DA SKEMA

“A proposta da SKEMA é o ensino multicultural para a mais completa adaptação ao mundo globalizado e multicultural em que vivemos”, explicou a reitora Geneviève. Saiba mais sobre a universidade .

Os 91 estudantes cumprirão este semestre letivo até o final do ano. Entre eles há um brasileiro, os outros vêm de países como Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Ilhas Maurício, Índia e Marrocos. Em fevereiro, a SKEMA iniciará seu primeiro curso de graduação destinado a alunos brasileiros. O curso é Gestão em Negócios Globais e já está com matrículas abertas.

 

 

Deixe uma resposta